quinta-feira, 17 de abril de 2014

Muito cuidado quando alguém disser "Vá ouvir MP3"


Virou lugar comum entre radiófilos diversos dizer, quando alguém faz críticas às emissoras de rádio, a frase "Não gostou? Vá ouvir MP3!!", como se qualquer mancada feita por uma emissora FM fosse na verdade um procedimento previsto pelos interesses comerciais da emissora.

Tudo virou pretexto para os tais interesses comerciais. A frase "Vá ouvir MP3", que alguns dizem por boa fé, na verdade vem dos bastidores do rádio, em que qualquer fórmula medíocre é justificada pelos tais "interesses de mercado" ou "pesquisas de audiência".

Foi assim que a TV aberta caiu drasticamente de qualidade. "Não gostou? Vá ver You Tube!!", diria então qualquer rei da baixaria televisiva. Imagine se algum televisivo dissesse, na Internet, sobre as baixarias televisivas, contra alguém que discordasse delas: "Quer programação mais comportada? Vá para a Igreja!!", como se somente igrejas fossem lugares de se defender valores morais relacionados ao respeito e decência humanos. Qualquer lugar é, ou deveria ser.

O que poucas pessoas percebem é que essa frase é muito perigosa. É como se um anfitrião de uma casa dissesse para seu visitante: "Quer casa limpa? Vá para um hospital particular!!", ou então algo que um político pudesse dizer "Quer qualidade de vida? Vá para Marte!!".

O que se pode responder a essa frase "Vá ouvir MP3" é "Não diga isso, que o pessoal sairá gostando". Num contexto em que a imprensa escrita e a televisão perdem muito público, com a revista Veja acumulando pilhas de exemplares encalhados e o Jornal Nacional chegando ao recorde negativo de 18%, o rádio FM não está fora desse contexto.

As notícias sobre rádio confirmam. Só o chamado "Aemão de FM" - programação calcada em noticiários longos, jornadas esportivas e "programas de locutor" - já perdeu tanta audiência que o que se tem de notícia de demissão de funcionários é de se preocupar. E não é mascarar a situação botando sintonias em estabelecimentos comerciais e inventar que deram "100 mil ouvintes" que irá resolver a situação.

Além disso, o que muita gente não entende é que, sinceramente, o rádio FM de hoje está mais provinciano que há 30 anos atrás. Não consegue acompanhar sequer o rádio FM de fora, quanto mais a Internet. Daí que dizer "Vá ouvir MP3" é bastante perigoso. É como se um professor autoritário dissesse para os alunos não assistirem à aula. A turma toda sai da sala gostando, até os "CDF".

O rádio FM já perde audiência e vem alguém dizendo "Não gostou? Vá ouvir MP3!!". É como se desse um tiro no pé. Foi justamente essa desculpa de "interesses comerciais" que fez a TV aberta cair em audiência. Vide a Rede TV!. Alguém imaginaria, há dez anos, que a Rede TV! teria audiência raquítica a ponto de causar demissão de funcionários e atrasos nos pagamentos salariais?

Como "contraponto" da Globo, a Rede TV! seria defendida por "televisófilos" por causa disso. O Pânico na TV era novidade e era quase uma "vaca sagrada" da televisão brasileira. Mesmo os piores programas da TV são ainda defendidos. O "televisófilo" médio ainda defende o humorístico Chaves, o policialesco Cidade Alerta, acha Wagner Montes um "herói", acha Ratinho "cult"...

Isso sem falar dos internautas médios que ainda veem Domingão do Faustão e Caldeirão do Huck, mesmo atacando eles com as "luvas de pelica" das falsas discordâncias, feitas mais para impressionar os outros internautas.

Além disso, dizer "Não gostou? Vá ouvir MP3!!" parece um consentimento com a qualidade que se encontra o rádio hoje. Virou moda o pessoal se contentar com pouco, gostar até do que é ruim e esculhambar aquilo que é sinônimo de qualidade em qualquer atividade humana.

Se for por esse raciocínio, que venham os mecânicos de borracharia de fundo de quintal para fazerem cirurgias nos corações dos brasileiros. Se tudo de errado, é só botar culpa nos pacientes. Se alguém criticar na Internet, é só alguém dizer "Quer bons cirurgiões? Vá para a Alemanha!!". Será que muitos terão coragem de dizer coisas assim?

Por isso a declaração "Não gostou? Vá ouvir MP3!!" soa, para muitos, uma apologia da mediocridade. E, o que é pior, faz com que o rádio FM admita, mesmo sem querer, sua derrota diante da força dos arquivos de áudio e também do You Tube. Daí o perigo praticamente fatal dessa frase. Ela poderá botar muita rádio FM para a falência. Portanto, muito cuidado.

Um comentário:

  1. O MP3 é legítimo como recurso para o ouvinte que não tem mais nada que preste para ouvir no dial de sua cidade. Não pode servir de desculpa para "ezecutivos" do rádio justificarem a programação ruim que colocam no ar.

    ResponderExcluir